Terça Feira Nocturna 2010 na Palha Blanco


Com 3/4 de Praça bem preenchidos, a Palha Blanco recebeu na 3ª feira 5 de Outubro mais uma tradicional 3ª feira Nocturna da Feira Taurina de Vila Franca de Xira, corrida que normalmente encerra a temporada do Grupo de Vila Franca, mas que para além disso, é talvez a mais solene de todas as corridas do ano para o Grupo, numa tradição que dura há décadas. É esta a corrida que na maíoria das vezes os grandes forcados que constroem a história deste Grupo escolhem para se retirarem do activo no Grupo de Vila Franca, já que raras vezes se despedem do facto de ser forcado, algo que dificilmente deixarão de ser o resto das suas vidas, embora sem estar no activo.

Foi assim este ano, mais uma vez. O nosso “Cagaréu” (Luis Santos) pegou o seu toiro e deixou o activo do Grupo de Vila Franca, com uma pega limpa, decidida, bem ajudado por todo o Grupo, com o Toiro de Jorge de Carvalho de 510 Kg, o 4º da noite, que cumpriu bastante bem, a entrar pelo seu caminho já que o Cagaréu também não complicou a investida. Fazendo tudo pelas regras de bem pegar de caras, encheu a cara ao toiro. Vamos ter saudades da sua decisão e eficácia nas 2ªs ajudas, mas a vida é mesmo assim, são etapas que se cumprem e uma nova oportunidade é criada com a sua ausência, resta aos que possuem vontade e saber para tal, o ocupar futuramente essa vaga que agora foi aberta.

Mas este foi o 4º toiro da noite que, diga-se, foi mesmo uma noite de boas pegas, com o Grupo a efectuar mais uma exibição ao nível da maioría das actuações na época 2010.

No 1ª pega da noite, o Pedro Castelo saltou para pegar o exemplar da ganadaria Palha, com 550 Kg. Um manso sem qualidade a refugiar-se em tábuas durante toda a lide. Foi com a mesma falta de classe e excessiva mansidão que respondeu ao cite do Pedro e se “bruto” entrou, também “bruto” saiu do meio do Grupo nesta 1ª tentativa. Na 2ª tentativa, a reunião já correu melhor ao Pedro e teve uma extraordinária 1ª ajuda do Manú, daquelas ajudas que são meia pega, num toiro áspero a precisar de um verdadeiro Grupo a ajudar, o que sucedeu na realidade. O Manú estava indisponível na altura de ser chamado à Praça, mas fica a nota do facto de o público reconhecer o valor da sua ajuda. O Pedro culmina a época com uma pega de grande qualidade, na sequência do que lhe sucedeu durante toda a época.

O 2º toiro da noite era outro manso sem classe, de Veiga Teixeira e com peso de 480 Kg. Foi á cara o Paulo Conceição. Acabou por faltar toiro a este forcado que fez tudo bem, mas o animal vinha algo diminuido nos quartos dianteiros, afocinhou na zona do 1º ajuda e retirou brilho á pega.

O 3º toiro da noite era o mais bravo da corrida (opinião pessoal, mas não só), pertencia a Oliveira Irmãos e estava anunciado com 520 Kg. Saiu pronto para a pega e o Patusco inteligentemente aproveitou do melhor modo esta franqueza. Carregou, recuou e recebeu nos tempos certos, no fundo, ganhou-lhe a cara e fechou-se com eficácia, o Grupo deu uma ajuda a roçar a perfeição e nas 3ªs o Petróleo esteve enorme.

Para o 5º toiro da ganadaria São Torcato, anunciado com 510 kg mas com uma apresentação que deixava algo a desejar, saltou o Marcio. Na 1ª tentativa não esteve perfeito a receber um toiro que entrou com pata e a “dar” bem, o que foi fatal neste caso. Na 2ª tentativa, já esteve ao seu nível a receber o toiro e com muita alma aguentou mais uma entrada “bruta” do oponente, aguentou os derrotes ásperos do toiro e o Grupo acabou por estar mais uma vez perfeito no modo como ajudou, soberbo, num bloco impressionante. Parabéns ao Salsa que esteve ao seu (alto) nível, os ares de Valência vão-lhe mantendo a vontade e o querer.

Por fim o 6º da noite, um toiro de Nuno Casquinha com peso de 480 Kg. Este toiro foi destinado ser pegado pelo Bruno Casquinha. Na 1ª tentativa, entrou com o corno direito no meio das pernas do Casquinha pelo que fácilmente lhe deu uma voltareta algo violenta que levou o “Casca” a precisar de “respirar” um pouco antes de voltar para a 2ª tentativa. Em boa hora o fez, já que nesta 2ª tentativa esteve muito bem e já recebeu o toiro com perfeição e foi com grande eficácia que se fechou e entrou pelo Grupo dentro, o que provocou que a coesão dos ajudas ajudasse a consumar esta excelente pega.

O espectáculo terminou com a entrega dos prémios em disputa, de bravura (Oliveira e Irmãos) e apresentação (Nuno Casquinha).

Noite dentro, no Clube Vilafranquense, um jantar bem regado e com o ambiente adequado á noite em causa fechou mais uma época taurina do Grupo de Vila Franca.

Paulo Paulino “Bacalhau

Partilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn