Pouco para contar na corrida da Póvoa de Santa Iria


Com cerca de 3/4 de praça, realizou-se este sábado 3 de Setembro uma corrida noturna à Portuguesa na Póvoa de Santa Iria. Os toiros inicialmente anunciados de Bernardino Piriz, por qualquer razão foram trocados por um misto de Palha, Oliveiras e Charrua.

Ao Grupo de Vila Franca coube inicialmente o Palha, pouco encorpado mas algo áspero e para a cara o eleito foi o Bruno Casquinha. Na 1ª tentativa esteve praticamente perfeito, no cite, no temple, agarrou-se com alma, mas a aspereza do oponente nos médios e algum atraso no “ataque” ao toiro, por parte das 2ªs ajudas, conseguiu sobrepor tudo isto apesar da boa ajuda do Manu. Na 2ª tentativa, as 2ªs ajudas ainda não entenderam o toiro mas o próprio Casquinha perdeu parte da alma que havia demonstrado na 1ª tentativa e o Grupo acabou mais uma vez desfeiteado, por culpa própria. Tudo se resolveu à 3ª, já com as ajudas mais curtas e a eficácia a vencer o brilhantismo.

A 2ª pega do Grupo de Vila Franca, desta vez a um Oliveira, foi efetuada pelo Rui Godinho. Pega sem história, o Rui esteve perfeito, o toiro não complicou minimamente e o Grupo foi eficaz nas ajudas.

Finalmente, o Grupo fechou a sua atuação ao 5º toiro da noite, um Charrua que tal como o anterior, não complicou. O cara, Diogo Pereira “Ruço” acabou por ser forcado a mais para tão pouco toiro, o mesmo se pode dizer das ajudas, que apenas se limitaram a cumprir sem grande esforço o que lhes competia.

Finalizámos no restaurante Boizão, num jantar animado e muito bem “regado”. 

11 de Setembro, regressamos a Montemor-o-Velho onde esperamos voltar a demonstrar a boa imagem que por lá deixámos no ano passado.

Paulo Paulino “Bacalhau”

Partilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn