Grupo respondeu bem em Alcácer do Sal


Um ano após a fatídica e cobarde ocorrência que vitimou o nosso amigo José Maria Cortes, reeditou-se mais uma corrida “Pimel” em Alcácer do Sal. Meia casa fraca, um sol que atrevidamente teimava em romper as nuvens e uma temperatura amena aguardavam esta corrida que contava com um curro de Varela Crujo para ser pegado pelos Grupos de Vila Franca de Xira e Montemor. Foi com uma homenagem promovida pela edilidade local ao Grupo de Montemor que se iniciou o evento, tendo-lhe sido entregue uma lembrança certamente marcada por um simbolismo a avivar saudade.

Os toiros saíram pouco homogéneos em presença, o que não se manifestou tanto na bravura fator onde cumpriram na sua maioria, exceção feita ao 3º toiro, meio bronco e que não fez transparecer o mínimo sintoma de classe. Apesar de tudo, nenhum saiu particularmente complicado para as pegas, notando-se apenas alguma aspereza a pôr a cara nos 3º e 4º toiros da corrida, mas não o suficiente para criar complicações de grande embaraço.

Para a pega do 2º toiro da corrida, o Ricardo Patusco efetuou a sua primeira pega desta época, brindada ao Grupo de Montemor e esteve ao seu nível, mandou bem, melhor reuniu e acabou por aguentar bem uma viagem a roçar o chão da arena, complicada de ajudar mas não o suficiente para vencer o Grupo que correspondeu com eficácia.

O 4º toiro da corrida foi dado ao David Moreira “Canário” que brindou a pega ao Ricardo Levezinho, regressado em boa hora após período de convalescença. Esteve sereno como é seu hábito no cite, mas acabou por ser vencido nas 2 tentativas iniciais, em parte porque o toiro dificultava na reunião pelo modo como metia a cara. Na 3ª tentativa reduziu a área de investida ao toiro e mandando melhor do que nas 2 anteriores tentativas, obteve uma reunião perfeita a encher a cara ao toiro que desta vez entrou sem complicações pelo Grupo dentro.

O último toiro da corrida, proporcionou talvez o maior momento de emoção a todos os que presenciaram esta corrida. João Villaverde, mais uma grande pega. Foi buscar o toiro que tardou na investida, sacou-se muito bem para reunir no alto e no meio de uma viagem veloz a derrotar ajudas, ainda conseguiu meios de se emendar e subir pelo toiro que chegou ajudado pelo Grupo às tábuas onde ainda tentou sacudir os forcados, mas sem êxito. Grande ovação para uma grande pega deste jovem elemento que merece bem o excelente momento que está a passar como forcado.

No final, haveria entrega de prémios, onde a melhor lide foi atribuída a António Telles no seu 2ª toiro e claro, a melhor pega da tarde muito justamente para o João Villaverde.

Paulo Paulino “Bacalhau”

Partilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn