Corrida de Gala no Campo Pequeno


Lisboa, Praça do Campo Pequeno, dia 1 de Outubro de 2009. Praça cheia e toiros da ganadaria Luís Rocha que prometiam pelo prémio de melhor curro do ano 2008 no Campo Pequeno. Na generalidade a corrida foi uma decepção, os toiros tinham apresentação e peso, mas faltava-lhes poder e por consequência bravura. O Grupo de Vila Franca cumpriu sem impressionar.

Para pegar o 2º toiro da corrida com 558kg, entrou em praça o seguinte grupo: Ricardo Castelo, Tavares, André, Cagaréu, Carlos, Petróleo, Falé e o Bazuca. Na 1ª tentativa o Ricardo teve dificuldades em mandar no toiro que era inquieto e distraído. Depois de uma reunião difícil pois o toiro arrancou com pouca vontade e velocidade, o toiro com uma mangada lateral e para baixo despachou o forcado antes de poder ser ajudado pelo Tavares. Na 2ª tentativa a reunião também não foi fácil e chegou descomposto ao 1º ajuda que já não teve hipótese de ajudar convenientemente. Na 3º tentativa o Tavares ajudou carregado, tirando ao toiro poder nas mangadas que descompunham o Ricardo, os 2ªs e os 3ªs conseguiram rapidamente fechar e levantar bem a cara ao toiro para consumar a pega. O Ricardo decidiu bem em não dar volta.

Para pegar o 4º toiro da corrida também com 558kg, entrou em praça o seguinte grupo: Casquinha, Manú, André, Cagaréu, Carlos, Bazuca, Falé e o Suspiro. Na 1ª tentativa o toiro ensarilhou bastante e a reunião foi imperfeita, o Casquinha tentou compensar e ganhar a cara ao toiro, o grupo ajudou bem, dentro do possível. O toiro tinha sido agarrado mas não pegado. Na 2ª tentativa a reunião foi boa, o toiro pela falta de poder veio com a cara pelo chão, o grupo ajudou bem com os 2ªs a levantarem bem a cara ao toiro. A falta de toiro tirou emoção a esta tentativa.

Para pegar o 6º toiro da corrida com 534kg, entrou em praça o seguinte grupo: Cabo Vasco Dotti, Petróleo, Cagaréu, André, Carlos, Tavares, Falé e o Suspiro. Na 1ª tentativa, depois do cite, o toiro arrancou de largo, pareceu-me que o Vasco vinha desequilibrado a recuar com o toiro, na altura da reunião o pau de um ferro curto espetou-se no peito do Cabo e impediu que a reunião se concretizasse. A 2ª tentativa foi bem executada, boa reunião e o grupo a fechar rápido com coesão.

Em relação ao Grupo de Lisboa, o 1º toiro tinha 568kg e foi pegado à 3ª tentativa. O toiro tinha poder e defendia-se mais com o passar das tentativas o que dificultou a vida ao forcado, que não estava numa noite sim. O 3º toiro tinha 562kg, o forcado fechou-se muito bem na cara do toiro tirando-lhe o poder e a potencial maldade, os ajudas fizeram o resto. O 5º toiro tinha 604kg, na 1º tentativa os 2ªs ajudas não conseguiram entrar a tempo e a pega não se concretizou. Na 2ª tentativa já nos terrenos do toiro o forcado fechou-se e o grupo ajudou bem.

Os cavaleiros tiveram dificuldades em chegar ao público pois os toiros não colaboraram. Destaco a lide do António Ribeiro Teles que pela sua forma genuína de tourear consegui tourear o possível. O Luís Rouxinol ganhou o prémio de melhor lide pelo maior impacto da sua lide junto do público. No rescaldo da corrida bebi umas cervejas com os aposentados Bau Bau e Gel, visto que o Grupo fugiu para VFX com a desculpa do início da feira, está mal!

Francisco Cordoeiro “Tixa”

Partilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn